Transplante Capilar em Curitiba

O que é o transplante capilar em Curitiba

Entre tantas cirurgias estéticas, o implante de cabelo em Curitiba distingue-se como o procedimento destinado a tratar a queda de cabelo. Implica na extração de folículos capilares de uma área saudável, que continuará a crescer normalmente, para as áreas carentes que apresentam calvície ou falta de densidade. Os transplantes capilares são uma forma quase indolor e eficaz de tratar a calvície e, como se trata de um procedimento ambulatorial, não requer hospitalização, o paciente voltará sua vida diária rapidamente.

O implante capilar é a cirurgia ideal para as pessoas que sofrem de queda de cabelo ou que não possuam a densidade de fios desejada. Geralmente ocorre na cabeça, mas também pode ser necessária em muitas outras partes do corpo, podendo ser realizada na barba, cílios, sobrancelhas e corpo. Essa queda de cabelo pode ser causada por uma cicatriz feita anteriormente, ou pela conhecida alopecia. A alopecia pode apresentar-se de diferentes formas, algumas das quais elegíveis para um transplante capilar. Entre estes tipos, temos os que dependem da causa, tais como:

  1. Idade: para além do aparecimento de cabelos brancos, resultantes da perda de melanina no cabelo, um sinal visível de envelhecimento, existe a diminuição das fibras proteicas que os compõem os fios, fazendo com que os cabelos enfraqueçam, além de perderem a cor.
  2. Stress: O stress influencia muito a queda do cabelo, sendo a causa de pelo menos três tipos de alopecia. Estes são os tipos de alopecia em que a pessoa não sofre uma perda total ou permanente, caso não se torne um problema crónico, de modo que apenas se observa uma diminuição da densidade enquanto o stress estiver presente.
  3. Nutrição inadequada: se uma pessoa suprime vitaminas e proteínas da sua dieta, é provável que sofra da chamada alopecia por deficiência nutricional, pois fica mais difícil para o organismo produzir novos cabelos. Ter cabelos saudáveis e fortes anda de mãos dadas com uma alimentação equilibrada, que inclua peixe e o chocolate amargo como alimentos específicos para a saúde capilar.
  4. Perda de peso: a combinação da má alimentação com a perda de peso excessiva, seja através de uma dieta ou exercícios físicos intensos e constantes, acelera a perda de proteínas corporais devido ao suor, gerando assim mais gordura no cabelo, que já é fraco por falta de proteínas, fazendo com que este caia muito mais facilmente.
  5. Negligência no tratamento capilar: A negligência nos cuidados com o cabelo é vista de diferentes formas, quer nas substâncias químicas que lhe são aplicadas, nas tinturas que enfraquecem as fibras capilares, na criação de penteados inadequados, no uso intensivo de alisadores ou secadores de cabelo. Também na chamada alopecia por tração que ocorre quando o cabelo está envolvido me penteados muito apertados durante muito tempo.
  6. Doenças: Algumas vezes, a alopecia não é uma desordem individual, mas consequência de um problema maior que produz esta queda de cabelo. Podemos citar o diabetes, por exemplo, que ajuda nesta perda, uma vez que aumenta os níveis de glicose no sangue. Alopecia também é vista no lúpus, que ataca o cabelo, tornando-o mais fino e frágil. Também pode ser causada por medicamentos ou tratamentos para estas doenças, medicamentos como antidepressivos, contraceptivos, betabloqueadores, anti-inflamatórios, entre outros. Ainda como consequências da quimioterapia, uma vez que interrompe completamente o crescimento do cabelo enquanto o tratamento é continuado, e a radioterapia na cabeça, dependendo da quantidade de radiação administrada na área.

Nas mulheres, a alopecia pode surgir por um par de fatores:

  1. Gravidez: Embora o contrário aconteça durante a gravidez, graças os hormônios que promovem o crescimento do cabelo, entretanto, após o parto o efeito é invertido, os hormônios mencionados diminuem significativamente, causando uma mudança tão brusca que o couro cabeludo fica enfraquecido. Estes casos de alopecia são muito comuns e se fazem presente em grande parte das mulheres que dão à luz.
  2. Menopausa: Nesse caso, os hormônios liberados pelo organismo são os chamados andrógenos ou hormônios masculinos. Com isso, o ciclo de vida do cabelo da mulher diminui e ele cai mais rápido do que o normal.

A principal razão da alopecia nos homens é sua predisposição genética, ou seja, a herança que obtiveram dos seus parentes, se esse for o caso, é provável que também tenham algum nível de calvície. Isto acontece porque os homens com esta predisposição geram uma maior quantidade de hormônios masculinos que promovem a queda de cabelo, ao contrário dos homens que não têm parentes com alopecia.

Qualquer uma destas razões pode causar alopecia, pelo que o passo seguinte é determinar o tipo específico de calvície. Entre os tipos de calvície, encontramos:

  1. Alopecia androgenética: O principal tipo de alopecia que ataca sobretudo homens, costuma ser também quase a totalidade dos casos existentes em homens com menos de 21 anos de idade. Como já nos referimos, é causada pela herança genética de uma pessoa, compartilhando geneticamente esse mal com vários outros parentes do sexo masculino. Apresenta-se como uma diminuição geral da densidade do cabelo, pelo que é perceptível pela condição do cabelo, geralmente mais fino e mais liso. Embora não apareçam falhas de calvície, existe uma forma em “M” ou “ferradura” que pode ser vista nas entradas do cabelo. Apesar de não ser tão comum, as mulheres também podem apresentar alopecia androgenética, no caso delas se observa apenas uma baixa densidade.
  2. Alopecia areata: Comum em jovens de cerca de 20 anos, é o tipo de alopecia em que o couro cabeludo fica inflamado e surgem falhas ao longo do couro cabeludo. É uma espécie de calvície normalmente gerada pelo stress, e não é hereditária.
  3. Alopecia difusa: A principal característica da alopecia difusa ou eflúvio telógeno é o empobrecimento do cabelo e da sua saúde, pelo que se nota que não tem tanta força e se torna frágil e fino. Também não apresenta falhas no couro cabeludo, apenas sua densidade é afetada, impedindo que o cabelo volte a crescer depois de cair. Não tem uma idade específica ou com maior probabilidade de sua aparição, sendo normalmente vista em pessoas que devem ser submetidas a tratamentos como a quimioterapia e cuja alimentação não inclui o consumo de vitaminas e proteínas.
  4. Alopecia cicatricial: Este é um tipo de alopecia que pode ser dolorosa e de pior aspecto visual, devido ao fato de o couro cabeludo ser completamente substituído por um tecido cicatrizado, tornando impossível o crescimento de novos fios através dos folículos capilares. A alopecia cicatricial distingue-se pela vermelhidão do couro cabeludo, escamação e inflamação intensa.
  5. Alopecia fibrosante: Se apresenta em mulheres que passam pela menopausa, é uma calvície tardia que pode levar anos para se tornar perceptível, onde o cabelo perde densidade, também por causa dos hormônios masculinos presentes no organismo.
  6. Tricotilomania: Ao contrário dos tipos acima mencionados, a tricotilomania é um distúrbio nervoso em que a pessoa é a causadora das falhas calvas. Uma vez que alivia o stress ao retirar fios de cabelo diretamente do couro cabeludo.
  7. Alopecia por tração: A calvície também pode ser gerada pela aplicação de tensão no cabelo durante muito tempo, como se pode ver quando se usam penteados apertados que esticam o cabelo com força e não os deixam cair naturalmente.

Tal como algumas das alopecias mencionadas podem ser curadas com tratamentos, se detectadas a tempo, ou mesmo prevenindo as causas dadas anteriormente, muitas vezes a única solução reside no implante capilar em Curitiba, uma solução que garante uma melhoria mesmo nos casos mais drásticos. Uma pessoa que decida submeter-se a esta microcirurgia irá ao cirurgião com o diagnóstico correto, para que este possa iniciar o procedimento.

Quais são as técnicas utilizadas num transplante capilar em Curitiba

A cirurgia de implante de cabelo pode durar de 6 a 10 horas, dependendo do grau de alopecia, bem como do tipo de operação a ser realizada, pelo que pode ser considerada como uma intervenção relativamente extensa. Para os tipos de alopecia aplicáveis a este tratamento, existem duas técnicas possíveis para o implante capilar em Curitiba:

  1. Técnica FUT: Esta é possivelmente a mais executada das duas, pois funciona para muitos dos casos de alopecia vistos, e o resultado é natural e satisfatório para a maioria deles. É chamada “técnica da tira” porque a área doadora é utilizada para extrair uma tira contendo folículos capilares saudáveis que estimulam o crescimento na área afetada. O primeiro passo é criar uma incisão na zona, retirar uma tira de 1 cm de largura e cerca de 20 cm de comprimento, suturando a ferida após isso. Outra vantagem do transplante capilar é que a cicatriz gerada é praticamente invisível.  Uma vez suturada a incisão, a tira é separada em unidades foliculares, ou seja, cada dois ou três cabelos são distribuídos em partes mais pequenas, e são inseridos nas partes calvas do couro cabeludo, de uma forma estratégica que se adapta às necessidades do paciente em termos de direção e quantidade.
  2. Técnica FUE: Esta técnica utiliza micropunch para fazer incisões mais pequenas, ao contrário da técnica anterior. A FUE é definida como Follicular Unit Extraction ou Extração de Unidade Folicular, uma vez que estas são removidas individualmente desde o primeiro momento, em vez de serem separadas posteriormente. Primeiro a cabeça do paciente é raspada, algo que não é visto na técnica FUT, e são feitas as séries de incisões de cerca de 0,8 milímetros, para inserir as unidades nas zonas calvas.
  3. Técnica DHI: Finalmente, existe a técnica de Direct Hair Implantation ou Implantação Direta do Cabelo, onde os folículos também são extraídos um a um, desta vez utilizando uma ferramenta conhecida como Implanter, com o qual são feitas pequenas incisões. Esta técnica é considerada mais avançada porque tem mais controle sobre a direção, ângulo e profundidade dos enxertos uma vez colocados na zona receptora. Além disso, as unidades foliculares ficam menos tempo fora do couro cabeludo, o que ajuda o mesmo segurar o fios com mais força do que aqueles que passam mais tempo fora, não sendo necessário raspar a área antes de as remover e implantar.

Cada técnica tem os seus benefícios e contradições ao selecioná-la, portanto o cirurgião apresentará ao paciente a melhor opção para que ele possa obter o melhor resultado de acordo com as suas necessidades específicas.

Quando uma operação de implante de cabelo estiver concluída, serão colocados curativos na área operada e como se trata de um procedimento ambulatorial, o paciente poderá ir para casa no mesmo dia.

Quem pode fazer um implante capilar em Curitiba

O paciente ideal no caso de transplante capilar é aquele que afetado por uma das causas de calvície acima mencionadas e sofre de qualquer um dos tipos de alopecia. Portanto, é recomendado para pessoas cujo cabelo está começando a cair ou já está em um ponto avançado de calvície, seja com falhas ou com densidade reduzida. Além disso, existe uma série de requisitos para qualquer possível paciente, embora alguns não sejam obrigatórios. Cumprir tais requisitos significará um melhor resultado na operação. Estes requisitos são:

  • Idade: A faixa etária ideal situa-se entre os 30 e os 45 anos. Uma vez que antes dos 30 anos, a alopecia pode não estar completamente definida, e os pacientes mais jovens podem precisar de fazer outra cirurgia anos mais tarde. Para pessoas com mais de 45 anos, será mais difícil recuperar a densidade capilar após o implante de cabelo.
  • Área doadora abundante: Para que a área receptora receba uma quantidade razoável de folículos capilares, a área doadora deve ser suficiente para suprir os enxertos necessários e seguir crescendo normalmente. Sem esta doação, a pessoa não tem como obter os fios que precisa para as partes calvas do couro cabeludo, o que é fundamental para um resultado bem sucedido.
  • Boa saúde: Para qualquer tipo de intervenção cirúrgica é necessário que o paciente esteja em perfeitas condições de saúde ou, pelo menos, não sofra de doenças que possam comprometer o procedimento,  como reações adversas à anestesia administrada ou vulnerabilidades a cicatrização ou infecção.
  • Livre de doenças: Se o possível paciente tiver alopecia devido a doenças de pele ou tipos de alopecia causadas por stress, como areata ou problemas psicológicos, como a Tricotilomania, é possível que o transplante capilar não seja a resposta imediata e que as causas primárias da calvície devam ser tratadas em primeiro lugar, com os tratamentos adequados. Se forem realizados enxertos de cabelo em Curitiba neste tipo de pacientes, a raiz do problema não estando resolvida, a queda de cabelos pode continuar mesmo após a operação.

Antes de um implante capilar em Curitiba

Uma vez determinado que o paciente pode continuar com o procedimento, inicia-se a fase pré-operatória, onde os preparativos que conduzem à cirurgia são tão importantes quanto o próprio procedimento e o pós-operatório. Uma vez que isso determinará se a pessoa tem condições de passar pelo transplante capilar em Curitiba e capacidade de lidar com essa intervenção. O processo pré-operatório começa com uma série de testes de avaliação capilar, dos quais se destacam:

  1. Tricoscopia: parte essencial do diagnóstico da alopecia, envolve a análise do cabelo sob um dispositivo que permite obter as informações necessárias sobre o estado do couro cabeludo. Não é necessária qualquer preparação prévia e a mesma pode ser feita “a seco”, apoiando o dispositivo diretamente no cabelo, ou utilizando um gel ou líquido especial para ajudar na análise.
  2. Tricograma: Esta é outra forma de analisar o cabelo de um possível paciente. Nesse caso, será necessário recolher uma amostra, ao contrário da tricoscopia, onde não é removido nenhum fio de cabelo. O especialista coloca essa amostra sob um microscópio, prestando atenção à sua forma e integridade. Algumas vezes é apenas necessário cortar o cabelo, enquanto em outros casos, a raiz também deve ser observada, então a amostra deve ser cuidadosamente removida.

Além destes, o cirurgião pode também solicitar uma análise do sangue para monitorizar os níveis de glicose, sódio, potássio, fazer testes de hepatite e SIDA, e da hemorragia que pode ocorrer durante a cirurgia. O histórico médico do paciente também será analisado, uma vez que a história familiar é um fator importante na alopecia.

É necessário que o paciente ajuste os seus hábitos diários antes de um transplante de cabelo em Curitiba, como deixar de fumar uma semana antes, se a pessoa for fumante, não consumir álcool ou bebidas com cafeína ou nicotina, além de consultar se pode continuar a tomar medicamentos, também é preciso parar de fumar. Evitar a aplicação de produtos no cabelo, como gel ou spray, bem como soluções tópicas, como Minoxidil, uma vez que isto pode causar hemorragias exageradas.

Recomenda-se que o paciente não faça exercícios exaustivos como cardio, mas que comece a massagear a área de destino dos fios a serem transplantados, com movimentos horizontais e verticais, para estimular essa área. Para certificar-se de que o couro cabeludo esteja em boas condições sem qualquer tipo de alterações, uma vez que isso poderia causar a suspensão da cirurgia.

No dia da operação o paciente deve estar em jejum, sem consumir qualquer tipo de bebida ou comida, e a sua última refeição deve ter sido algo leve, fácil de digerir.

Depois de um transplante capilar em Curitiba

Como é conhecido, o implante capilar é uma operação ambulatorial onde o paciente não será hospitalizado e poderá voltar para casa no mesmo dia da cirurgia. Assim, começa o processo pós-operatório, que é uma parte importante que irá determinar o resultado do implante de cabelo em Curitiba. É importante que a pessoa siga as recomendações de saúde e do estado da área tratada. Assim, a evolução do pós-operatório seria a seguinte:

  • Primeiros dias: O couro cabeludo ou a área tratada vai parecer inchada e poderá apresentar algum desconforto. O paciente deve evitar tocar nessa área ou esfregá-la com qualquer objeto, deve manter a cabeça erguida, especialmente quando dorme, para que a anestesia possa ter efeito durante a primeira noite. No segundo ou terceiro dia terá de voltar para um check-up, onde as ataduras colocadas após a operação serão retiradas, e seu cabelo será lavado pela primeira vez.
  • Primeiras semanas: é possível que surjam crostas na área devido às incisões, que durarão algumas semanas até caírem naturalmente, pelo que não são uma grande preocupação, também se pode sentir uma comichão no couro cabeludo. A partir das primeiras semanas, o paciente poderá voltar às suas atividades habituais, como o trabalho, e recuperar a sua rotina diária.
  • Primeiros meses: Nesta altura, os cabelos começarão a crescer naturalmente, aumentando pouco a pouco a densidade do cabelo. No entanto, é apenas no quarto mês que os cabelos começam a crescer mais fortes e resistentes, como os das outras áreas.

Com o passar deste tempo, o paciente poderá ter a autorização para cortar o cabelo, consumir álcool e tomar seus medicamentos, como os acima indicados. Assim, resta apenas aguardar os resultados do transplante de cabelo em Curitiba.

Quando aparecem os resultados do implante capilar em Curitiba

Como visto no período pós-operatório, os resultados de um transplante capilar não são imediatos, nem rápidos de serem vistos. O cabelo deve passar primeiro pelas fases de crescimento e queda até atingir a densidade e espessura desejadas, ficando forte e não susceptível a queda novamente. Desta forma, o paciente terá de esperar pelo menos um ano para que os resultados definitivos apareçam.

Apesar da espera, o implante de cabelo em Curitiba é uma operação que proporciona resultados eficazes e naturais no couro cabeludo ou em qualquer uma das áreas a serem tratadas. É por isso que funciona como uma solução ideal para a alopecia e a calvície em geral.

Riscos de Transplante Capilar em Curitiba

Embora muitas outras cirurgias estéticas envolvam riscos maiores do que um implante capilar, as poucas complicações que podem ocorrer neste tipo de operação não devem ser ignoradas, ainda que a gravidade das mesmas não seja motivo de preocupação. Entre os riscos possíveis contam-se:

  • Má cicatrização: A cicatrização é um processo importante para curar a incisão feita quando a área doadora é removida. Em alguns casos, pode ficar mais inflamada do que deveria e, embora não seja um corte grande, pode ser mais visível do que o paciente deseja. Uma vez que é mais comum nos pacientes que fumam, é mais uma razão a mais pela qual devem deixar de fumar antes da operação, se não querem lidar com uma situação como esta.
  • Infecções: Se a pessoa não mantiver uma higiene adequada, é possível que a zona da incisão fique infectada, tornando o processo pós-operatório mais delicado. Qualquer cirurgia em que sejam feitos cortes precisos há a possibilidade de que isso aconteça.
  • Perda de sensibilidade: Como numa operação de implante de cabelo pode ser que os nervos abaixo do couro cabeludo sejam tocados. Isso poderá fazer com que área cicatrizada apresente uma perda de sensibilidade, muitas vezes temporária, já que se recupera após algumas semanas, mas há casos pode tornar-se permanente, embora a probabilidade deste evento seja baixa.
  • Edemas faciais: Uma vez que esta cirurgia envolve sangramento, o cirurgião pode injetar o chamado soro fisiológico para que este não ocorra em grande escala. Este soro pode produzir inchaço no rosto, que também é temporário, e ainda acontece com apenas uma pequena parte dos casos.

 Pontos importantes sobre o transplante capilar em Curitiba

  • Em alguns casos de alopecia, a calvície pode ser total, não havendo área doadora. Se for esse o caso, é possível utilizar outra parte do corpo com folículos pilosos ativos, incluindo a zona púbica, como zona doadora.
  • O tipo de cabelo tem uma grande influência durante e após a operação. Na técnica DHI, o cabelo encaracolado pode ser mais difícil de inserir e desenhar do que o cabelo liso. No entanto, os cabelos encaracolados, especialmente se forem mais escuros e espessos, apresentam maior densidade e um resultado melhor do que os lisos.
  • Não há possibilidade de queda de cabelo depois de um implante de cabelo em Curitiba. Isto porque os folículos pilosos são substituídos e os colocados em seus lugares crescerão permanentemente e serão mais resistentes aos hormônios que promovem a queda do cabelo.
Puntuación
[Total: 0 Puntuación: 0]