Transplante Capilar em Recife

O que é o transplante capilar em Recife

Criado como solução para a queda de cabelo, o implante capilar em Recife é uma operação onde os folículos capilares são extraídos de uma área doadora, uma área de crescimento constante, e transportados para a área onde se apresenta a calvície.

Um dos muitos benefícios encontrados nesta cirurgia é a sua ausência de grandes riscos, representando uma forma simples, indolor e eficaz de resolver a alopecia ou falta de densidade. Além disso, sendo um procedimento ambulatorial, não é necessária uma hospitalização, e o paciente pode voltar rapidamente a sua rotina diária.

O transplante capilar é destinado a pessoas que foram vítimas de alopecia, sendo que a perda de cabelo é resultante de falhas ou uma menor densidade geral dos fios. Isto é possível não só no couro cabeludo, que é a área onde a intervenção é mais realizada, mas também em áreas como a barba, sobrancelhas, cílios ou qualquer outra parte do corpo. O mesmo pode surgir de cicatrizes que a pessoa tenha, ou de tantos tipos de alopecia, que podem ser divididas da seguinte forma:

  • Alopecia androgenética: Sendo este o tipo de alopecia mais comum, especialmente nos homens, ela é gerada devido a um fator hereditário, onde a pessoa é muito mais susceptível de herdar o problema através dos seus familiares. A alopecia androgenética envolve um aumento da produção de hormônios masculinos, que causam e promovem essa queda do cabelo. Caracteriza-se por atacar a densidade do cabelo em geral, sem apresentar falhas específicas no couro cabeludo. No entanto, nos homens pode mostrar uma forma de “M” nas entradas. Nas mulheres, o cabelo tende a cair principalmente na parte central da cabeça.
  • Alopecia areata: Outro dos tipos mais comuns é a alopecia areata. Ela é uma consequência do stress na maioria dos casos, não apresentando fatores hereditários. Os folículos capilares são afetados pelo stress da pessoa, caindo do couro cabeludo, e dificultando a geração de novos cabelos. Contudo, o stress não é a única causa, uma vez que doenças como o lúpus, diabetes tipo 1, da tireoide e outras autoimunes também podem resultar em alopecia areata.

Para além destes, existem outros tipos de alopecia:

  • Alopecia difusa: Tal como na alopecia androgenética, a difusa ou eflúvio telógeno distingue-se por uma diminuição da densidade capilar sem qualquer tipo de padrão. É responsável por afetar a saúde do cabelo, de modo a que este não seja suficientemente forte e resistente como deveria ser, sendo, pelo contrário, fraco e fino, se partindo e caindo facilmente e não voltando a crescer.
  • Alopecia cicatricial: Sendo um tipo de alopecia muito mais dolorosa, a alopecia cicatricial envolve a substituição do couro cabeludo por tecido cicatricial, apresentando inflamação, vermelhidão, descamação e queimadura.
  • Alopecia por tração: A sua principal diferença com relação as outras, se dá pelo fato de ser resultante dos hábitos da pessoa e não de outras causas externas. Ao amarrar o cabelo com coques muito esticados que puxam o cabelo para trás, mantendo-o assim constantemente, fazendo com os cabelos que se soltam do couro cabeludo devido a tensão, sendo essa perda maior que o habitual.

Além disso, é de notar que a alopecia também é classificada dependendo do tipo de área que afeta, sendo a alopecia totalis a mais conhecida, pois se concentra na cabeça; a alopecia universalis, onde todo o corpo sofre de queda de cabelo; ou alopecia barbae, onde a calvície ou falhas são encontradas na barba da pessoa.

A calvície é uma mal extremamente comum na população brasileira. Assim, verifica-se que pelo menos 5 em cada 10 homens sofrem com isso, levando-se em conta jovens com menos de 30 anos. À medida que a idade aumenta, o número sobe para 8 em cada 10. As mulheres, embora não sejam tão susceptíveis a esta condição, não ficam para trás, pois 40% delas também podem desenvolver qualquer um dos tipos de alopecia acima mencionados.

Além das causas hereditárias, stress e doença, a alopecia pode surgir de outras causas, tais como:

  • Excesso de óleo no cabelo: O cabelo oleoso que não é devidamente controlado pode resultar em queda de cabelo acelerada. É por isso que se recomendada uma escovação constante para distribuir essa oleosidade por todo cabelo, até às pontas.
  • Nutrição deficiente: O cabelo é constituído por proteínas e necessita delas, além das vitaminas para se manter saudável e resistente. Quando a pessoa não consome os nutrientes necessários, o cabelo torna-se quebradiço e fraco, caindo em maior quantidade.
  • Estilo inadequado: Neste aspecto, podemos citar o uso excessivo de bonés e chapéus, que também prende a gordura do cabelo, como já mencionamos anteriormente. Também temos os penteados que causam alopecia por tração, o calor dos secadores e das chapinhas para o cabelo. As tinturas ou produtos afins também enfraquecem o cabelo e afetam a sua saúde.

A prevenção da calvície é um ponto importante antes de considerar o implante de cabelo em Recife, por isso deve-se trabalhar na redução do stress, ter uma dieta correta com as vitaminas como a B3 e B12 e pentear regularmente o cabelo e usar apenas produtos que não sejam prejudiciais ao mesmo.

Uma vez respeitando os hábitos corretos em termos de manutenção dos cabelos e ainda assim o problema da alopecia persiste, independentemente do tipo. E tendo descartado o uso de cremes e loções que promovem o crescimento do cabelo por não surtirem efeito, então já se pode considerar um transplante capilar em Recife, uma vez que este garante resultados na grande maioria dos casos.

Quais são as técnicas de implante capilar em Recife

Além de existirem vários tipos de alopecia, que diferem entre si pelo aspecto e características, existe também mais de uma técnica disponível para transplante capilar em Recife. Em geral, esta operação requer uma intervenção mínima e cicatrizes menores, trocando os folículos capilares que não apresentam crescimento, com os da área doadora que ainda permitem o crescimento silencioso dos cabelos. As técnicas existentes que podem ser oferecidas são:

  • Técnica FUT: Chama-se técnica da tira, porque começa por fazer uma incisão na área doadora, que na maioria dos casos costuma ser na nuca ou parte de trás da cabeça. A partir desta incisão é extraída uma tira do couro cabeludo que contém as unidades foliculares a utilizar. Uma vez retirada, a ferida é suturada e o cirurgião procederá à divisão de cada uma das unidades, em um ou dois fios. Assim, a inserção na zona alvo é facilitada, colocando os fios onde são necessários, resultando numa maior densidade e eliminação de falhas, deixando apenas uma cicatriz quase invisível e não incômoda.
  • Técnica FUE: FUE significa Extração de Unidades Foliculares, em inglês, e pode ser distinguida da técnica FUT porque a separação das unidades não é feita, uma vez que são extraídas desde o início uma a uma, e não em conjunto, como acontece na técnica da tira. Do mesmo modo, uma vez extraídos com pequenas incisões, são inseridos na zona de destino. Outra característica da técnica FUE é que a área deve ser raspada antes de iniciar o procedimento, mas ela não deixa nenhuma cicatriz visível.
  • Técnica DHI: Esta técnica implica, como seu nome indica, um Implante Capilar Direto. Isto significa que os folículos, tal como na técnica FUE, são extraídos um a um. Caracteriza-se pelo uso do Implanter, uma máquina semelhante a uma caneta que faz um grupo de incisões para inserir os enxertos capilares. Esta técnica garante um maior controle na posição das unidades foliculares, na direção e ângulo desejado, além disso, como os enxertos são inseridos rapidamente e não passam muito tempo fora do couro cabeludo, serão capazes de manter mais força e resistência desde o início. Outra diferença entre a técnica DHI e FUE é que não é necessário raspar a área.

Cabe ao cirurgião analisar a condição de saúde do paciente, levando em conta suas particularidades, e dizer qual é a técnica mais benéfica, selecionando a que proporciona o melhor resultado no final da operação.

Quem pode fazer um implante capilar em Recife

Sabendo que a alopecia é um problema comum no país, as pessoas que poderiam beneficiar de um transplante de cabelo em Recife podem ser muitas. No entanto, é importante que tais pessoas satisfaçam os requisitos adequados para poderem participar de um só implante de cabelo, tanto homens como mulheres. Isso se conhece como perfil ideal de paciente, considerando os seguintes pontos:

  1. Qualquer possível paciente deve sofrer de algum tipo de alopecia ou ter queda de cabelo em alguma parte do corpo que deseje tratar.
  2. O paciente não pode ter outras opções além do transplante de cabelo, como cremes, loções, que podem resolver o problema sem implante capilar. A isto se acrescenta a eliminação de causas como o stress e a má nutrição antes de se considerar a hipótese do implante. Visto que, se a origem da alopecia não for resolvida, a queda de cabelo pode continuar para além do implante capilar.
  3. Embora não seja um requisito obrigatório, recomenda-se que os pacientes se enquadrem na faixa etária ideal, que fica entre os 25 e 45 anos, para que a alopecia seja suficientemente definida, o que normalmente não ocorre em pessoas muito jovens. Já em pessoas mais velhas a cirurgia talvez não seja suficiente para cobrir a densidade desejada. Em ambos os casos, por ser muito jovem ou demasiado velho, o doente pode precisar de outra intervenção mais tarde.
  4. A saúde do paciente deve ser ótima tanto para a cirurgia como para o pós-operatório, o que significa que o paciente não pode ter doenças cardíacas, diabetes ou patologias semelhantes. Uma vez que a primeira pode causar complicações com a anestesia, e a segunda em termos de hemorragia, pois mesmo que seja em menor grau há possibilidade de acontecer. Por conseguinte, a pessoa deve ser saudável para não afetar o transplante de cabelo em Recife durante e após o mesmo.

Atendendo a estas características, o perfil ideal de paciente pode ser resumido em homens com idade média de 30 anos, com alopecia em qualquer parte do corpo, cuja melhor ou única opção é o implante de cabelo, e que não tenham doenças que possam prejudicar o procedimento. Assim, se o paciente se enquadrar nesse perfil e sem qualquer outro impedimento, poderá continuar o procedimento, levando-o para a fase pré-operatória.

Antes de um transplante capilar em Recife

Uma vez que o paciente se encontre com o cirurgião para iniciar os preparativos para o implante capilar, ele estará na fase pré-operatória da cirurgia. Uma fase importante para que o paciente mantenha um estado ótimo para garantir uma operação bem sucedida, o que acontece em qualquer tipo de procedimento cirúrgico. Este procedimento envolve não só o cirurgião, mas também os tricologistas (especialistas em couro cabeludo), dermatologistas para examinar a pele do paciente e anestesistas para administrar a anestesia local utilizada antes da incisão ou incisões. No caso de transplante capilar, todo o período pré-operatório leva geralmente duas semanas, sendo o seguinte:

  1. O primeiro passo é verificar se o paciente se encontra em ótima saúde, para o seu bem estar uma série de testes será realizada para verificar a condição de saúde do mesmo e do seu couro cabeludo. Entre estes exames podemos encontrar a tricoscopia, parte essencial para o diagnóstico da alopecia, que envolve a análise do cabelo sob um dispositivo que permite obter as informações necessárias sobre o estado do couro cabeludo. Para isso não é necessária qualquer preparação prévia, sendo feita “a seco”, apoiando o dispositivo diretamente no cabelo, ou utilizando um gel ou líquido especial para ajudar na análise. Outra forma de analisar o cabelo de um possível paciente é com um tricograma, onde, desta vez, será necessário colher uma amostra, ao contrário da tricoscopia, onde não é removido nenhum fio de cabelo. Com esta amostra, o especialista, através de um microscópio, observa a forma e integridade dos fios. Por vezes é apenas necessário cortar o cabelo, enquanto em outros casos, a raiz também deve ser observada, e essa amostra deve ser cuidadosamente removida. Além destes, o cirurgião pode também solicitar uma análise ao sangue para verificar os níveis de glicose, sódio, potássio, fazer testes de hepatite e SIDA, e da hemorragia que pode ocorrer durante a cirurgia. O histórico médico do paciente também é avaliado, já que os seus antecedentes familiares são importantes, em caso de alopecia.
  2. O paciente deve deixar de tomar seus medicamentos como tratamento, principalmente o Minoxidil, e outros como: anticoagulantes, anti-inflamatórios ou suplementos vitamínicos, pois todos estes podem afetar a circulação sanguínea, diluí-la ou impedir a passagem de nutrientes para o couro cabeludo, podendo provocar também uma hemorragia excessiva durante a operação. Do mesmo modo, terá de deixar de consumir bebidas alcoólicas ou fumar pelo menos um dia antes da operação. Recomenda-se também que não corte o cabelo de forma alguma antes do dia da operação.
  3. No dia da operação, as últimas etapas do processo pré-operatório envolvem o uso de sangue extraído do paciente, passado por um processo de centrifugação para separar o plasma rico em plaquetas e injetá-lo no couro cabeludo, o que permitirá que o novo cabelo se adapte adequadamente à sua posição. Em seguida, o cirurgião marcará a forma desejada do cabelo em referência às entradas, especialmente, selecionando tanto a área doadora como a área receptora. Por último, a anestesia será aplicada a zona a ser tratada, sendo local, e doente permanecerá acordado durante o procedimento. Raramente é utilizada uma anestesia geral, somente nos casos em que o paciente está nervoso e pode comprometer o tratamento.

Depois de um transplante capilar em Recife

O implante de cabelo é uma operação ambulatorial onde o paciente não será hospitalizado e poderá voltar para casa no mesmo dia da cirurgia. Assim, começa o processo pós-operatório, o qual é uma parte importante que irá determinar o resultado do transplante capilar em Recife. É importante que a pessoa siga as recomendações para cuidar da sua saúde e do estado da área tratada. Assim, a evolução do pós-operatório seria a seguinte:

  • Primeiros dias: O couro cabeludo ou a área tratada vai parecer inchada e pode haver algum desconforto. O paciente deve evitar tocar nessa área ou esfregá-la com qualquer objeto, e deve manter a cabeça elevada, especialmente quando dorme, para que a anestesia possa ter efeito durante a primeira noite. No segundo ou terceiro dia terá de voltar para um check-up, onde as ataduras colocadas após a operação serão retiradas, e poderá lavar o cabelo pela primeira vez.
  • Primeiras semanas: É possível que surjam crostas na área devido às incisões, que durarão algumas semanas até caírem naturalmente, pelo que não são uma grande preocupação, também se pode sentir uma comichão no couro cabeludo. Após as primeiras semanas, o paciente poderá voltar às suas atividades habituais, como o trabalho, e recuperar a sua rotina diária.
  • Primeiros meses: Nesta altura, os cabelos começarão a crescer naturalmente, aumentando pouco a pouco a densidade do cabelo. No entanto, só no quarto mês é que o cabelo começa a crescer mais forte e mais resistente, como os fios definitivos.

À medida que o tempo passa, o paciente poderá obter a autorização para cortar o cabelo, consumir álcool e tomar medicamentos como os acima indicados. Assim, resta apenas aguardar os resultados do transplante capilar em Recife.

Quando aparecem os resultados do implante capilar em Recife

Um ponto a salientar sobre o transplante de cabelo em Recife, é que os resultados são tardios e não serão logo após a cirurgia. Isto acontece porque o cabelo tem de atravessar o ciclo de crescimento e perda para que se torne mais forte e mais semelhante aos da área doadora. Desta forma será mais resistente às quedas, pelo que o paciente, para poder ver os resultados defintivos da operação, deve esperar de 11 meses a um ano.

Apesar da espera, o transplante capilar em Recife é uma operação que proporciona resultados eficazes e naturais no couro cabeludo ou em qualquer uma das áreas a serem tratadas. Portanto, funciona como uma solução ideal para a alopecia e a calvície em geral.

Riscos de implante de cabelo em Recife

Embora muitas outras cirurgias estéticas envolvam riscos maiores do que um transplante capilar, as poucas complicações que podem ocorrer neste tipo de operação não devem ser ignoradas, ainda que a gravidade das mesmas não seja motivo de preocupação. Entre os riscos possíveis contam-se:

  • Má cicatrização: Durante a cicatrização se surgirem complicações, a cicatriz pode se tornar mais aparente do que o necessário. A maioria das vezes pode acontecer com a técnica da tira ou FUT, pois gera uma maior e mais extensa ferida; nas técnicas FUE e DHI, não é tão provável que aconteça e normalmente aparecem apenas crostas.
  • Infecções: O implante envolve incisão, como em qualquer cirurgia, e por isso existe a possibilidade de uma infecção, que pode complicar o pós-operatório. O foco deve ser o tratamento desta complicação e não permitir o seu agravamento, pois a pessoa pode demorar mais tempo em curar-se completamente.
  • Perda de sensibilidade: Ao remover os folículos capilares pode-se atingir os nervos do couro cabeludo em qualquer parte a ser tratada. Isto poder levar à perda de sensibilidade em alguns pacientes. Na maioria, isto acaba por ser temporário, mas em alguns casos pode ser permanente ou mais difícil de recuperar, sendo um risco que o paciente deve estar ciente. No entanto, é algo que ocorre raramente.
  • Edemas faciais: Sendo também uma complicação temporária, os edemas faciais surgem como inchaços no rosto devido ao soro fisiológico injetado para substituir o sangue perdido. Isto, apesar de possível e de baixo risco, quase sempre costuma aparecer.

Pontos importantes sobre o implante capilar em Recife

  • O transplante capilar é uma operação simples, de baixo risco e fácil recuperação. No entanto, alguns fatores podem complicar o seu desempenho. No caso de pessoas com calvície total, ou seja, onde a zona é completamente calva, não existe uma zona doadora. Mas isso pode ser resolvido retirando os folículos capilares de partes distante do corpo, seja dos braços, do peito e até da zona púbica.
  • O cabelo liso pode ser um vantajoso em alguns casos, como quando se utiliza a técnica DHI, onde os fios podem ser inseridos mais facilmente. No entanto, o cabelo encaracolado dá um melhor resultado, especialmente se for escuro e grosso, sendo mais denso do que o cabelo fino e claro.
  • Não há possibilidade de queda de cabelo depois de um implante de cabelo em Recife. Isto porque os folículos pilosos são substituídos e os enxertados crescem permanentemente e são mais resistentes aos hormônios que promovem a queda do cabelo.

 

Puntuación
[Total: 0 Puntuación: 0]