Transplante Capilar em Salvador

O que é transplante capilar em Salvador

A queda de cabelo e debilidade do couro cabeludo é conhecida como alopecia, ou simplesmente calvície, onde os fios de cabelo se tornam ralos e enfraquecidos. Por qualquer uma das razões que citaremos a seguir, a calvície afeta severamente aqueles que a possuem, desde a autoestima até a imagem pessoal, por isso foram desenvolvidas técnicas para tratá-la e devolver a essas pessoas sua aparência anterior.

Uma das técnicas de maior sucesso, que envolve cirurgia estética, é o chamado de transplante capilar em Salvador, onde os fios de cabelos perdidos são substituídos por folículos pilosos saudáveis extraídos de uma área do couro cabeludo onde não há queda de cabelos. Tal procedimento permite a restauração dos cabelos do paciente.

No transplante capilar em Salvador, deve-se levar em consideração a idade do paciente e a saúde geral dos cabelos, bem como as características da alopecia, de maneira que o transplante possa ser focado no caso específico e tratado da maneira mais eficaz. O que se deve deixar claro é a importância de saber as causas da calvície, e também o fato de acometer tanto homens como mulheres. Embora pessoas de sexo masculino sejam muito mais propensas a ela, cada gênero tem suas causas especificas de alopecia.

Nas mulheres, a calvície acontece por dois motivos. A primeira delas é a gravidez, embora durante a gestação sejam gerados hormônios que promovam o crescimento do cabelo, uma vez na fase pós-parto, esses hormônios começam a diminuir significativamente, enfraquecendo assim o couro cabeludo. A alopecia após a gravidez é muito comum e atinge em um grande número de mulheres que deram à luz.

A segunda causa de alopecia nas mulheres é a menopausa. Nesta fase, o ciclo de vida dos cabelos torna-se mais curto e o corpo libera uma maior quantidade de hormônios masculinos, conhecidos como hormônios androgênicos, os quais influenciam enormemente a queda dos cabelos.

Nos homens, a calvície ocorre muito mais que nas mulheres, sendo gerada principalmente pela predisposição genética. Se um homem tem parentes diretos com calvície, é provável que ele sofra a mesma coisa quando atingir uma certa idade. Além disso, estas pessoas apresentam altas quantidades de hormônios androgênicos, que aceleram ou aumentam o processo.

Agora, ambos os sexos podem compartilhar causas de alopecia, como a idade, por exemplo. Como sabemos, um dos sinais de envelhecimento é o aparecimento de fios brancos, devido à perda de melanina no cabelo. Além disso, as fibras proteicas que compõem o cabelo começam a diminuir de tamanho e perder pigmento, de modo que um cabelo uma vez grosso e escuro pode gradualmente tornar-se fino e branco.

O estresse pode causar até três tipos de calvície, que poder de origem emocional ou física. Normalmente não causa queda de cabelo permanente, mas pode a tornar crônica se não forem tratadas as causas. Portanto a melhor maneira de preveni-la é administrar o estresse de forma eficiente.

Além disso, a má nutrição pode ocasionar a conhecida alopecia nutricional deficitária, que é causada pela falta de vitaminas e proteínas na dieta de uma pessoa, de modo que não se consiga produzir novos cabelos da mesma forma que antes. Por este motivo, para ter cabelos saudáveis, é recomendado o consumo de proteínas, vegetais, frutas e alimentos específicos, como peixe e chocolate amargo.

Uma dieta restrita, quando sobreposta a exercícios intensos constantes, resulta em uma rápida perda de peso. Mas tais exercícios que envolvem força intensa eliminam proteínas do corpo através do suor, o que aumento o teor de oleosidade dos cabelos e, consequentemente, a sua queda. Outro ponto importante é o descaso no tratamento dos cabelos, que pode ocorrer se uma pessoa maltratar os cabelos por muito tempo, com atitudes como amarrar os cabelos com muita tensão e frequentemente, causando a chamada alopecia por tração. Também acontece após o uso de tinturas, que enfraquecem as fibras capilares.

Além da alopecia geralmente é um distúrbio em si, mas também pode ser um sintoma ou consequência de outros problemas. Pessoas com diabetes podem apresentar calvície devido aos altos níveis de glicose que dificultam o fluxo adequado do sangue. Também é visto em pessoas que sofrem de lúpus, uma condição em que o cabelo fica mais fino e perde grande quantidade de fios.

Além disso, medicamentos e tratamentos para essas doenças citadas podem causar alopecia, entre eles: antidepressivos, contraceptivos, betabloqueadores, anti-inflamatórios, entre outros. Além de tratamentos como: quimioterapia, que pode causa inclusive perda total de cabelo, e radioterapia na cabeça, onde a quantidade de cabelo perdido depende da intensidade da radiação administrada.

Qualquer uma dessas razões pode causar alopecia, portanto o próximo passo é determinar o tipo específico de calvície que o paciente sofre. Entre os tipos de calvície, podemos citar em primeiro lugar a alopecia androgenética, pois é a mais comum, especialmente nos homens, pois geralmente é passada por herança genética. Ela é o resultado de problemas hormonais onde a pessoa libera grandes quantidades de hormônios masculinos ou andrógenos que promovem a queda do cabelo. Também é vista como uma queda geral e diminuição da densidade, os homens acometidos contam com falta de cabelo em forma de entradas frontais e na coroa, apresenta o formato de “M”.

Em segundo lugar, podemos citar a alopecia areata, que se apresentam em pacientes com altos níveis de estresse que atacam a estrutura dos seus fios. Além da queda do cabelo, o couro cabeludo também sofre alterações, através de inflamações. Este tipo de alopecia se manifesta em forma de falhas no couro cabeludo e é mais comum em pessoas em tornos dos 20 anos de idade.

Outro tipo de alopecia que, como a alopecia androgênica, só ataca a densidade dos cabelos é a alopecia difusa ou eflúvio telógeno. Ao invés de falhas no couro cabeludo, deixa os fios mais finos e quebradiços, enfraquecendo-os até caírem, e não se regeneram mais. Os pacientes com eflúvio telógeno são geralmente aqueles que passam por tratamentos de quimioterapia ou radioterapia, ou os indivíduos com dietas pobres em vitaminas e proteínas.

Também temos a alopecia cicatricial, que difere das demais por afetar todo o couro cabeludo, sobr a forma de irritação, inflamação, vermelhidão e descamação. O que faz com que pele nesta área seja substituída por um tecido cicatricial, onde já não é possível o crescimento de novos. Costuma ser dolorosa para aqueles que sofrem com ela.

Embora a alopecia normalmente não seja notada em um curto período de tempo, pois ela se expande lentamente através dos anos, a alopecia fibrótica é a que apresenta menor quantidade de sinais visíveis para o diagnóstico. Os cabelos enfraquecem lentamente, especialmente na frente e nos lados do couro cabeludo. É visto com mais frequência em mulheres durante a menopausa.

Outros tipos de calvície que merecem ser citados são a tricotilomania, um distúrbio nervoso onde a pessoa remove tufos de cabelo; alopecia traumática, ocasionada pelo uso de penteados muito apertados; calvície fúngica que causa infecção; e a foliculite, onde os folículos capilares ficam tão inflamados que são destruídos e os cabelos não podem voltar a crescer.

Assim como algumas das alopecias mencionadas podem ser curadas com tratamentos se detectadas a tempo ou prevenindo as causas dadas anteriormente, muitas vezes a única solução reside no transplante capilar em Salvador. Uma solução que garante melhoria mesmo nos casos mais drásticos. A pessoa que decidir se submeter a essa microcirurgia deve ir ao cirurgião com o diagnóstico correto, de forma que ele possa dar início ao procedimento.

 Quais são as técnicas utilizadas em um transplante capilar em Salvador

A cirurgia de transplante capilar pode durar de 6 a 10 horas, dependendo do grau de alopecia, bem como do tipo de operação a ser realizada, portanto é considerada uma intervenção relativamente extensa. Para os tipos de alopecia aplicáveis a este tratamento, existem duas técnicas possíveis para o transplante capilar em Salvador:

  1. Técnica FUT: é conhecida como a técnica da tira, pois é exatamente o que ocorre, é retirada do da área doadora do couro cabeludo, uma tira de 1 centímetro de largura por cerca de 20 centímetros de comprimento. Geralmente se tira da parte de trás da cabeça e após isso a incisão é suturada de modo que a cicatriz fique imperceptível. Uma vez retirada, essa tira é dividida em unidades foliculares para que cada uma tenha dois ou três fios de cabelo, e estes são inseridos na área de destino em locais estratégicos para que cumpram com as necessidades do paciente de forma otimizada. a técnica FUT é recomendada para uma grande variedade de casos de alopecia, uma vez que alcança resultados naturais e não é necessário que o paciente raspe a cabeça para realizar tal procedimento.
  2. Técnica FUE: como seu nome indica, a Follicular Unit Extraction ou Extração da Unidades Foliculares é um procedimento no qual as unidades foliculares são extraídas individualmente, e não em forma de uma tira como na técnica FUT. Primeiro, a área doadora deve ser raspada, o que não chegar a se um empecilho, pois geralmente é uma área onde os fios continuarão a crescer normalmente. As unidades foliculares começam a ser removidas (elas têm aproximadamente 0,8 milímetros de tamanho) e as incisões são feitas através de um procedimento chamado micropunção. Em seguida, a área doadora, que na maioria dos casos envolve a parte frontal ou lateral da cabeça, é gradualmente preenchida com estes novos fios nos locais com maior carência de fios.

Ao concluir uma operação de transplante capilar, serão colocadas bandagens na área operada e por ser um procedimento ambulatorial, o paciente poderá ir para casa no mesmo dia.

Quem pode se submeter a um transplante capilar em Salvador

Para se candidatar a um transplante capilar, o paciente deve apresentar um certo grau de alopecia, e ter sido afetado em razão desta, assim a pessoa terá baixa densidade ou falhas ao redor do couro cabeludo. Entretanto, existe um perfil ideal de paciente obtém melhores resultados em uma cirurgia de transplante capilar em Salvador, resolvendo de forma definitiva os seus problemas capilares. Estes requisitos são:

  • Idade: embora seja possível que pessoas jovens ou maduras possam se submeter a um transplante capilar, a faixa de idade mais indicada a essa operação fica entre os 30 e os 45 anos. Porque se alopecia for realizada antes dos 30, pode acontecer que a mesma não tenha sido completamente definida e o paciente continue tendo queda de cabelo, mesmo após a cirurgia. E ser for realizada em pessoas acima dos 45 anos, uma cirurgia pode não ser suficiente para permitir uma recuperação completa da densidade.
  • Área doadora abundante: para que a área receptora receba uma quantidade razoável de folículos capilares, a área doadora deve ser suficientemente farta para fornecer os enxertos necessários e não apresentar falhas após a operação. Sem essa doação, não há como a pessoa dispor de fios em número suficiente para cobrir a parte calva do couro cabeludo, permitindo bons resultados.
  • Boa saúde: não é apenas uma exigência neste tipo de cirurgia, mas em qualquer tipo de intervenção cirúrgica, pois complicações e reações adversas podem ocorrer durante a operação. Por isso um paciente ideal é aquele que não está susceptível a condições que comprometam o procedimento, sofra reações adversas à anestesia administrada ou seja vulnerável à cicatrização ou infecções.
  • Sem doenças: Os tipos de alopecia que não podem ser tratados em um transplante capilar são aqueles cujas as causas independem da condição de saúde física do paciente. E inclusive, se tais pessoas forem tratadas através de procedimento cirúrgico, podem voltar a ter queda de cabelo, já que o problema desencadeador da queda, como o estresse, ou distúrbios como a tricotilomania, não foram resolvidos. Recomenda-se que a pessoa controle primeiramente estes inconvenientes e observe se ocorre melhorias na alopecia antes de considerar um transplante capilar em Salvador.

 Antes de um transplante capilar em Salvador

Uma vez diagnosticado o tipo de alopecia e confirmada aptidão do paciente ao transplante capilar em Salvador, o próximo passo é iniciar a etapa de pré-cirurgia, onde o cirurgião fornecerá todas as informações e orientações necessárias para o paciente, verificando se o mesmo cumpriu as regras anteriores ao transplante capilar, com vistas a garantir o melhor resultado possível.

Isto inclui a realização de vários testes e exames capilares prévios. Entre eles, temos primeiramente a tricoscopia, que ajuda no diagnóstico e permite uma visão geral da saúde do couro cabeludo. Neste exame se usa um dispositivo que é colocado o couro cabeludo do paciente com um líquido ou “a seco” mesmo, a partir daí é feita uma análise do estado geral das partes doentes e saudáveis do couro cabeludo do paciente.

Outra versão deste tipo de procedimento é o tricograma, onde é necessário extrair fios de cabelo para examiná-los separadamente com o uso de um microscópio. Os fios são cortados ou extraídos com suas raízes para a realização do exame.

Além desses dois, um exame de sangue também é útil antes do transplante capilar, para que se possa ter certeza de que o paciente não tem hepatite ou AIDS; e que o sangramento durante a operação não se torne um obstáculo à sua realização. Além disso, são avaliados o histórico médico e familiar do paciente, pois têm um papel importante no surgimento da alopecia, especialmente nos homens.

Após os exames, o paciente será notificado das mudanças que devem ser feitas no seu dia-a-dia antes da operação. Entre elas evitar de fumar, caso seja fumante, por no mínimo uma semana antes do transplante capilar em Salvador. Também deve suspender o uso de géis ou quaisquer produtos para os cabelos, além dos habituais usados em sua lavagem.

Também é importante enfatizar que a pessoa não deve praticar exercícios pesados como o cardio. Sendo melhor que os substitua por uma massagem, com movimentos verticais e horizontais, na área do couro cabeludo a ser tratada, de formas que ela seja estimulada. No dia da operação o paciente deve estar em jejum, sem ter ingerido nenhum tipo de bebida ou comida, e sua última refeição deve ter sido algo leve, fácil de digerir, isto para que a operação seja muito mais segura para o mesmo.

Em geral, o que se busca é que o paciente e seu couro cabeludo estejam em ótimas condições e que reduza a possibilidade de quaisquer complicações com fins de que se garanta uma operação confortável e com os melhores resultados possíveis.

 Depois de um transplante capilar em Salvador

Uma vez finalizado o transplante capilar, a área será protegida com curativos e o paciente receberá alta no mesmo dia, iniciando o pós-operatório, onde a evolução do transplante capilar em Salvador deverá ser observada de forma satisfatória. No segundo dia o paciente deve retornar ao consultório para o primeiro check-up, onde serão retirados os curativos e lavados os cabelos a fim de estimular os folículos capilares e adaptá-los à nova posição que ocupam.

Posteriormente, o paciente não poderá participar de exercícios como cardio ou musculação, bem como não deverá tomar anticoagulantes, aspirina ou qualquer tipo de bebida alcoólica. É recomendado manter a cabeça elevada e não tocar na área operada. Antes de chegar às duas semanas é importante que o paciente não tenha contato com o sol, e antes do primeiro mês não é permitido cortar o seu cabelo.

Quando são notados os resultados de um transplante capilar em Salvador

Os resultados não serão imediatos, pois é necessário esperar que os cabelos continuem seu ciclo de repouso e crescimento, e esta evolução é relativamente lenta. Como mencionado, se deve esperar alguns meses para que os cabelos comecem a crescer gradualmente.

Mesmo quando já está nesta fase, os novos cabelos podem ser menos visíveis e mais finos que os cabelos de outras áreas, como a área doadora, e à medida que o tempo passa ele vai se tornando mais grosso e assumindo um aspecto natural como os cabelos normais. Para conseguir uma aparência com a qual o cliente se sinta satisfeito, se deve esperar entre 11 meses e um ano, quando se pode ver o resultado final do transplante capilar em Salvador.

Riscos de um transplante capilar em Salvador

As cirurgias estéticas geralmente apresentam uma série de riscos que o paciente deve estar ciente ao decidir se submeter a uma delas. Felizmente para aqueles que sofrem de alopecia, o transplante capilar em Salvador é uma operação relativamente segura, com a menor incidência de complicações durante ou após a operação.

Entretanto, é importante anotar quais as complicações que podem surgir. Em se tratando da cicatrização, normalmente ela é invisível no couro cabeludo, mas se estiver inflamada se torna muito perceptível na cabeça, o que acontece no caso de muitos pacientes que fumam. Já as infecções sempre são possíveis de acontecer em cirurgias que envolvem incisões, por isso o paciente deve certificar-se de manter uma boa higiene pessoal para que a área não fique suscetível a esta condição.

Outro par de complicações de maior monta são a perda de sensibilidade na área doadora, pois a incisão coloca em risco os nervos da área, mas isto geralmente apresenta rápida recuperação. Só se torna preocupante, se após algumas semanas a área não voltar a apresentar sensibilidade. Os edemas faciais, inflamações na face devido aos fluidos adicionados ao organismo durante a operação para substituir o sangue perdido, como o soro fisiológico, podem permanecer por alguns dias.

Em geral, os riscos de um transplante capilar em Salvador não devem ser um impedimento para o paciente, pois são temporários ou fáceis de tratar uma vez que aparecem.

Pontos importantes em um transplante capilar em Salvador

Quanto ao transplante capilar é importante que o paciente conheça alguns pontos que podem alterar o resultado. Em primeiro lugar, a cor e a textura dos cabelos também influenciam no seu aspecto visual após a operação, já que em cabelos espessos e escuros os resultados são mais perceptíveis do que naqueles com tons claros.

É importante que o processo de queda de cabelo do paciente já tenha terminado, principalmente se for uma pessoa jovem, para que a cirurgia seja única e não seja necessária outra, algum tempo depois. Por sua vez, a dificuldade do transplante também depende do tipo de calvície que o paciente possui, já que as falhas bem definidas são mais fáceis de tratar do que uma falta de densidade espalhada por todo o couro cabeludo.

Outro ponto importante é a proibição ou abstinência do paciente de ter relações sexuais durante duas semanas após a operação. Através do transplante capilar em Salvador, buscamos melhorar a autoestima do paciente, bem como sua relação diária com o cabelo e a saúde do mesmo, eliminando completamente a calvície e outros efeitos que o couro cabeludo esteja sofrendo.

Puntuación
[Total: 0 Puntuación: 0]