Transplante Capilar em São Luís

O que é o transplante capilar em São Luís

O implante capilar em São Luís é a solução definitiva para os problemas da calvície através de intervenção cirúrgica estética. É realizado retirando cabelos da área doadora (onde este cresce normalmente) e transportando para a área carente (onde ocorre a calvície). Tal problema capilar é conhecido como alopecia ou calvície, muito comum em homens e mulheres, já que é resultante de uma variedade de causas e ser de variados tipos.

Existem muitos fatores que se deve ter em consideração ao se submeter a um transplante capilar em São Luís, como a idade, a condição do seu cabelo e a densidade dos fios da área doadora e da de destino do paciente, além de outros pontos também importantes. Primeiramente, é preciso saber quais são os motivos causadores da calvície em ambos os sexos:

  1. Idade: Pessoas que atingem uma certa idade podem apresentar sinais visíveis de envelhecimento no cabelo, como os fios grisalhos. Entretanto, os  fios de cabelo brancos não são o único sinal patente de envelhecimento, pois o cabelo, além de perder a cor em decorrência da redução da melanina, as fibras proteicas que constituem o cabelo também são produzidas em menor quantidade, afetando tanto na sua força, bem como na sua capacidade de se manter grosso e saudável.
  2. Stress: Este é outro fator relevante no processo de calvície, pois provoca vários tipos de alopecia, especialmente em pessoas jovens.
  3. Má alimentação: Da mesma forma que a idade, uma alimentação pobre interrompe a produção de proteínas na quantidade adequada aos cabelos. Uma dieta com poucas vitaminas e proteínas ainda contribui para que os cabelos fiquem fracos e suscetíveis a queda.
  4. Perda de peso: A diminuição de peso, em um curto espaço de tempo também é um fator potencializador da queda de cabelo, pois os exercícios que exigem bastante força física, como os musculares e os cardiovasculares, consomem de forma rápida as proteínas da pele, promovendo a transpiração gerando maior oleosidade no couro cabeludo e acelerando a perda de cabelo. Além disso, combinada com dieta deficiente, faz com que a necessidade de certos nutrientes para os cabelos seja ainda maior.
  5. Descuido no tratamento capilar: Isto acontece quando uma pessoa maltrata o cabelo por longos períodos de tempo, com ações imprudentes como amarrar o cabelo com demasiada força, provocando a conhecida alopecia por tração. Isso acontece também com o uso indiscriminado de tinturas, que fragilizam as fibras capilares.
  6. Doenças: A alopecia, além de ser uma doença, individualmente falando, também pode surgir em decorrência de outros problemas no organismo. Pessoas com diabetes podem apresentar calvície devido a glicose elevada, que interrompe o fluxo natural do sangue. Também se nota em indivíduos que sofrem de lúpus, onde os fios cabelo ficam mais finos e caem mais facilmente. Ademais, os medicamentos e tratamentos indicados para estas doenças podem provocar alopecia, entre os tais temos: antidepressivos, betabloqueadores, contraceptivos, anti-inflamatórios, entre outros. Tratamentos médicos como a quimioterapia, que pode causar total perda de cabelo, e a radioterapia da cabeça, onde a intensidade da radiação administrada que defini a quantidade de cabelo perdido.

Em mulheres, a alopecia pode aparecer devido algumas razões:

  1. Gravidez: Durante a gravidez são gerados hormônios que promovem o crescimento do cabelo, mas uma vez na fase pós-parto, tais hormônios apresentam uma drástica redução na produção, enfraquecendo dessa forma o couro cabeludo. A alopecia depois de a mulher dar à luz é bem comum e acontece com inúmeras mulheres.
  2. Menopausa: Nessa fase, o ciclo de vida natural do cabelo fica mais breve, além disso o corpo passar a liberar uma maior quantia de hormônios masculinos, denominados como hormônios andrógenos, os quais influem bastante na queda do cabelo.

Nos homens, a alopecia ocorre com mais frequência do que em mulheres, sendo gerada especialmente devido a predisposição genética. Se um homem conta com familiares diretos que sofrem de calvície, é bem mais provável que ele também sofra desse mal quando atingir uma determinada idade. Ademais, os afetados pela alopecia apresentam nível alto de produção de hormônios androgênicos, que potencializam e tornam esse processo mais rápido.

Qualquer uma das razões citadas acima pode causar calvície, por isso o passo seguinte é determinar o tipo particular alopecia. Entre tais tipos de calvície, temos:

  1. Alopecia androgenética: Conhecida como o tipo de calvície mais frequente e com uma quantidade bem maior de casos apresentados que outros tipos. Sendo que 90% dos casos acontecem com homens menores de 21 anos e em 50% daqueles maiores de 40 anos de idade.  Esse tipo de alopecia se caracteriza por uma redução geral em termos de densidade, afetando a grossura dos fios. Entretanto, ocorrem quedas, especialmente nas entradas e coroa, por isso é denominada de alopecia de forma “M” ou “ferradura” nos homens. Já as mulheres, é mais comum uma redução na densidade. Esse tipo de alopecia é provocado pela alta presença de hormônios masculinos, sendo decorrente maiormente devido a predisposição genética, também é chamada de alopecia hereditária.
  2. Alopecia areata: Ao contrário da anterior, esta não se trata de herança genética, portanto provavelmente o paciente não terá parentes diretos com alopecia areata. Aqueles acometidos com este tipo de calvície tem inflamações no couro cabeludo e falhas delimitadas se ampliam com o tempo. Normalmente aparece em pessoas jovens, em torno dos vinte anos.
  3. Alopecia difusa: Conhecida também como eflúvio telógeno, é caracterizada por deixar os cabelos finos e quebradiços, que reduzem a densidade do cabelo sem padrão ou falha específica. Os fios de cabelo perdem a força e quando caem, não voltam a crescer novamente, ficando impossível ter fios novos que substituem os anteriores. Essa alopecia é notada em pacientes submetidos a tratamentos de quimioterapia e afins, bem como em pessoas com alimentação deficiente.
  4. Alopecia cicatrizante: Este tipo de calvície apresenta tem consequências negativas mais aparentes, se trata da permanente de todos os outros tipos. Sua causa se deve a doenças anteriores, que fazem com que o couro cabeludo e os seus folículos capilares se percam por causa da inflamação, descamação e vermelhidão do couro cabeludo, que é substituído pelo tecido cicatricial, ficando praticamente impossível a regeneração dos cabelos.
  5. A alopecia fibrótica: A alopecia fibrótica é a mais lenta em termos de evolução, sendo possível que passem até que ela mostre sinais que possam ser percebidos visualmente. Os fios de cabelo tornam-se fracos nas áreas frontal e laterais do couro cabeludo. É mais comum em mulheres durante a menopausa.

Existem outros tipos de alopecia que podemos citar, são: a tricotilomania, consequência de uma perturbação nervosa onde a própria pessoa arranca seus fios de cabelo; a alopecia traumática, causada em decorrência do uso de penteados onde se esticar os cabelos com muita força; a calvície fúngica, que provoca infecção; e a foliculite, onde folículos capilares se inflamam a tal ponto que são destruídos e os fios de cabelo não voltam a crescer novamente.

Algumas das calvícies citadas podem ser solucionadas através de tratamentos menos drásticos que uma cirurgia, caso sejam detectadas a tempo. Podem até mesmo ser prevenidas de suas causas. Todavia, muitas vezes a solução reside somente no implante de cabelo em São Luís, o que garante uma melhoria considerável mesmo nos casos mais dramáticos. A pessoa que decidir se submeter a esta microcirurgia irá diretamente ao cirurgião já com o correto diagnóstico, para que o mesmo possa iniciar o procedimento cirúrgico.

Quais são as técnicas utilizadas num transplante capilar em São Luís

O procedimento cirúrgico de implante de cabelo pode levar de 6 a 10 horas, dependendo do nível de alopecia do paciente, bem como do tipo de cirurgia que será realizada. Por isso é considerada uma intervenção de certa forma extensa. Os tipos de alopecia que podem ser tratados com essa medida, são solucionados pelo implante capilar em São Luís por um dos métodos:

  1. Técnica FUT: Possivelmente é a mais executada, pois resolve muitos dos casos de alopecia, e o resultado é bem satisfatório e natural na grande maioria dos casos. Também é conhecida como “técnica da tira” pois da área doadora é extraída uma tira com folículos capilares saudáveis necessários para estimular o crescimento na área afetada. O primeiro passo do cirurgião é fazer uma incisão na zona posterior do couro cabeludo e extrair uma tira de 1 cm de largura por 20 cm de comprimento, suturando a ferida em seguida. Outra vantagem desse implante de cabelo é que a cicatriz resultante é praticamente imperceptível.  Após suturada a incisão, a tira é dividida em unidades foliculares de dois ou três fios de cabelo cada e são inseridos nas partes calvas do couro cabeludo estrategicamente para que se adeque às necessidades peculiares do paciente em termos de quantidade e direção.
  2. Técnica FUE: Essa técnica usa o micropunch para criar incisões menores, ao contrário da FUT. A técnica FUE significa Follicular Unit Extraction ou Extração de Unidade Folicular, pois as unidades foliculares são retiradas individualmente desde o início, ao invés de serem separadas posteriormente. Primeiro a cabeça do paciente é raspada, o que não acontece na técnica FUT, e depois são feitas diversas incisões de cerca de 0,8 milímetros, na zona onde se inseri os folículos capilares.
  3. Técnica DHI: Por último, temos a técnica Direct Hair Implantation ou Implantação Direta do Cabelo, na qual os folículos também são extraídos um por um, por meio de uma ferramenta chamada Implanter, usada para fazer as pequenas incisões. A técnica DHI é considerada a mais avançada de todas, pois com ela se tem maior controle em termos de ângulo, direção e profundidade dos enxertos que serão implantados na área receptora. Ademais, com a DHI as unidades foliculares passam menos tempo fora do couro cabeludo, isso os ajuda a fixarem com maior força no couro cabeludo que aquelas onde os mesmos passam um tempo maior fora. Não é preciso raspar a raspar doadora e receptora dos folículos capilares.

Cada uma das 3 técnicas tem vantagens e desvantagens, por isso que o cirurgião escolherá entre elas a que apresentará os melhores resultados possíveis em função das suas necessidades particulares.

Após a realização da operação de transplante capilar, serão feitos curativos na área implantada, e por se tratar de um procedimento simplesmente ambulatorial, o paciente terá autorização para ir para a sua casa no mesmo dia da operação.

 Quem pode fazer um implante capilar em São Luís

Para se submeter a um implante de cabelo, o paciente precisa ter algum grau de alopecia e apresentar visíveis sinais desse problema, como falhas ou baixa densidade em torno do couro cabeludo. Entretanto, há um perfil ideal de paciente que pode obter ótimos resultados através de uma operação de transplante capilar em São Luís, que resolverá de forma permanente os problemas de calvície. Os requisitos são:

  • Idade: Ainda que seja possível para pessoas com menos ou mais idade se submeterem a um implante de cabelo, a faixa etária ideal para esse tipo de procedimento fica entre 30 e 45 anos. Já que, se essa cirurgia for realizada antes dos 30 anos, a área calva pode ainda não estar inteiramente definida, assim, o paciente pode seguir tendo queda de cabelo. No caso de pessoas com idade maior que 45 anos, a cirurgia talvez não seja suficiente, não conseguindo uma recuperação suficiente da densidade.
  • Área doadora abundante: A área doadora deve ser suficiente para ceder os folículos capilares para a área receptora e continuar inalterada após a operação. Sem esses fios não tem como dispor dos fios de cabelo necessários para cobrir as partes calvas do couro cabeludo, possibilitando êxito dos resultados.
  • Boa saúde: É um requisito para qualquer tipo de intervenção cirúrgica, não apenas nas capilares, pois podem ocorrer complicações e reações adversas no decorrer do procedimento. Um paciente ideal seria aquele não suscetível de comprometer a operação, apresentando reações à anestesia aplicada ou vulnerabilidade a cicatrização ou infecções.
  • Sem doenças: Os únicos tipos de alopecia que não podem resolvidos com um transplante capilar são os que cujas as causas não estão a saúde física do paciente. Mesmo que esse tipo de calvície seja tratada pelo procedimento cirúrgico, os fios continuarão caindo depois de realizado o transplante, caso o problema principal, que pode ser stress ou fragilidades psicológicas como a tricotilomania, não forem resolvidos. Recomenda-se que o interessado busque controlar tais inconvenientes, observando se há melhorias na calvície antes de pensar em um implante capilar em São Luís.

 Antes de um transplante capilar em São Luís

Uma vez confirmado que o paciente pode seguir com o procedimento, começa a fase pré-operatória, onde se realizam os preparativos para a cirurgia. Tais preparativos são tão importantes quanto o próprio procedimento e o pós-operatório. Isso porque essa fase determinará a condição de saúde da pessoa na hora do implante de cabelo em São Luís, e sua capacidade de lidar com esse processo. O pré-operatório se inicia com uma série de testes de avaliação capilar, entre eles se destacam:

  1. Tricoscopia: Parte fundamental do diagnóstico da alopecia, é a análise do cabelo através de um dispositivo para se obter informações necessárias a respeito da condição do couro cabeludo. Não é preciso qualquer preparativo prévio, sendo feita “a seco”, colocando o dispositivo sobre o cabelo, e pode ser feita também utilizando um líquido especial ou gel para ajudar na análise.
  2. Tricograma: É outra forma de analisar os cabelos de um paciente em potencial. Mas desta vez, se faz necessário coletar uma amostra, o inverso da tricoscopia, onde não é removida nenhuma amostra de cabelo. Tal amostra é colocada pelo especialista no microscópio, onde é observada sua forma e integridade. Muitas vezes é preciso apenas cortar o cabelo, em outros casos a raiz deve ser observada, para isso os fios precisam ser removidos com cuidado.

Além dos testes citados, o cirurgião pode solicitar uma análise do sangue para verificar os níveis de sódio, potássio, glicose; fazer testes de hepatite, SIDA e do sangramento que pode ocorrer no decorrer do procedimento cirúrgico. O histórico médico também é avaliado, pois os seus antecedentes familiares são importantes no caso de alopecia.

Também é necessário que o paciente cuide dos seus hábitos diários antes de um transplante capilar em São Luís, como evitar fumar por uma semana antes, caso a pessoa seja fumante, não tomar bebidas alcoólicas, com nicotina e cafeína. Também deve consultar seu médico para verificar se é possível continuar a tomar seus medicamentos ou precisa interromper nesse período. O paciente deve evitar a aplicação de produtos no cabelo, como géis, sprays, e soluções tópicas como o Minoxidil, já que tais produtos podem causar hemorragias em excesso.

Recomenda-se ao paciente que não faça exercícios pesados, como o cardio, em vez disso comece a massagear a região do couro cabeludo onde serão enxertados os fios, com movimentos horizontais e verticais, visando estimular a mesma e assegurar que o couro cabeludo fique em boas condições, sem alterações, já que isso pode causar o cancelamento da cirurgia.

No dia da operação, o paciente deve estar em jejum, sem consumir qualquer tipo de bebida ou comida, e a sua última refeição deve ter sido leve, fácil de digerir, para que a operação seja muito mais segura para o mesmo.

Depois de um implante capilar em São Luís

O implante de cabelo é uma operação ambulatorial, isto é, o paciente não precisará ficar hospitalizado e poderá voltar a sua casa no dia da cirurgia. Dessa forma, inicia o processo pós-operatório, onde uma parte importante será determinante o resultado do implante de cabelo em São Luís. É interessante que tal pessoa siga as orientações para cuidar da sua saúde e da área a ser tratada. Assim, a evolução do pós-operatório é a seguinte:

  • Primeiros dias: A área tratada do couro cabeludo vai parecer inchada e pode haver certo desconforto. O paciente não deve tocar nessa área ou coçá-la com objetos, e deve mantê-la elevada, principalmente quando dorme, para que a anestesia tenha efeito durante a noite. No segundo ou terceiro dia deverá voltar a fazer um check-up, onde as ataduras colocadas após a operação serão removidas e o cabelo será lavado pela primeira vez.
  • Primeiras semanas: Pode ser que surjam algumas crostas na área das incisões, que durarão por umas semanas até cair de forma natural, pelo que não haverá grande preocupação. Também pode haver alguma comichão no couro cabeludo. Nas primeiras semanas, o paciente já poderá voltar às suas atividades normais, como o trabalho e rotina diária.
  • Primeiros meses: Nesta altura, os fios de cabelo começarão a crescer normalmente, aumentando aos poucos a espessura dos fios. Entretanto, apenas no quarto mês os cabelos começarão a crescer mais robustos e resistentes, como os fios de cabelo de outras zonas do couro cabeludo.

Com o passar do tempo, será permitido ao paciente cortar o cabelo, consumir bebidas alcoólicas e tomar os medicamentos que foram interrompidos. A partir restará ao mesmo apenas esperar pelos resultados definitivos do implante capilar em São Luís.

Quando aparecem os resultados do transplante capilar em São Luís

Como visto no pós-operatório, os resultados do implante capilar não acontecem imediatamente, nem são rápidos de se obter. Os cabelos devem passar primeiramente pelas etapas de crescimento e queda até que sua densidade e espessura sejam atingidas, ficando forte e não suscetível a quedas. Desta forma, o paciente deve esperar pelo menos um ano para que os resultados definitivos apareçam.

Apesar de levar certo tempo, o transplante capilar em São Luís é uma cirurgia que proporciona bons resultados no couro cabeludo ou em qualquer outra área que for tratada. Por isso que ele funciona como uma solução perfeita para calvícies em geral.

Riscos de Implante de Cabelo em São Luís

Apesar de muitas cirurgias estéticas envolverem maiores riscos que o transplante capilar, não se pode ignorar as poucas complicações que porventura ocorram nesse tipo de procedimento, ainda que a gravidade delas não seja motivo de preocupação. Os riscos possíveis são:

  • Má cicatrização: A incisão feita passa pelo processo de cicatrização quando a área doadora é removida. Em alguns casos, essa cicatriz fica mais inflamada do que o normal, embora o corte não seja grande, porém pode ficar mais visível do que se deseja. Isso é mais comum em pacientes fumantes, mais uma razão que o mesmo deixe de fumar antes do procedimento cirúrgico, caso não se deseje lidar com esse tipo de situação.
  • Infecções: Caso a pessoa não mantiver uma higiene apropriada, é possível que a área onde foi feita a incisão fique infectada, fazendo com que o processo pós-operatório fique mais delicado. Toda cirurgia onde seja necessário efetuar cortes há probabilidade de que isso aconteça.
  • Perda de sensibilidade: Em uma operação de implante capilar é possível atingir nervos abaixo do couro cabeludo, e essa área cicatrizada pode apresentar perda de sensibilidade. Mas tal perda, a maioria das vezes, é temporária, voltando ao normal algumas semanas após, porém em alguns casos isso pode chegar a ser permanente, embora a possibilidade disso seja muito baixa.
  • Edemas faciais: Como esse tipo de cirurgia envolve sangramento, o cirurgião poderá injetar soro fisiológico para que o sangramento seja minimizado. O soro injetado pode produzir inchaço na face do paciente, isso também é temporário, acontecendo apenas com poucos pacientes.

 Pontos importantes sobre o implante capilar em São Luís

  • Em raros casos de alopecia, a ocorrência da calvície pode ser total, nesses casos não há área doadora. Assim sendo, só é possível fazer transplante utilizando folículos pilosos ativos de outras partes do corpo, que pode ser inclusive da zona púbica.
  • O tipo de cabelo do paciente tem grande influência em uma operação. Na técnica DHI, o tipo encaracolado pode ser um pouco mais difícil de ser desenhado e enxertado nas incisões do que o cabelo liso. Entretanto, o cabelo encaracolado, principalmente se for mais escuro e grosso, apresenta uma densidade maior e um melhor resultado que outros tipos.
  • Não há a mínima possibilidade de o cabelo começar a cair novamente após um transplante de cabelo em São Luís. Porque os folículos capilares colocados crescerão permanentemente e são mais resistentes aos hormônios atuam na sua queda.
Puntuación
[Total: 0 Puntuación: 0]